Impermeabilização de Reservatórios de Água – Porto Alegre

Impermeabilização de Reservatórios de Água – Porto Alegre

asd - Como Desentupir Pia de Cozinha com Garrafa Pet

IMPERMEABILIZAÇÃO DE RESERVATÓRIOS DE ÁGUA PORTO ALEGRE

Construsul Impermeabilização de Reservatórios de Água Porto Alegre

Impermeabilização de Reservatórios de Água Porto Alegre – Serviço é fundamental para garantir higiene dentro do imóvel, Impermeabilização de Reservatórios de Água você encontra aqui na Construsul Impermeabilização de Reservatórios de Água Porto Alegre. Ligue Agora!

Há empresas especializadas em Impermeabilização de Reservatórios de Água elevados e também Impermeabilização de Reservatórios de Água enterrados. Além de mão-de-obra adequada, esses prestadores de serviço aplicam produtos de marcas reconhecidas dentro dos reservatórios.

A impermeabilização, por exemplo, é muito comum por ser realizada em piscinas, para que água continue dentro do espaço destinado a ela sem causar transtornos às estruturas. É importante que as caixas d’água e demais reservatórios, caso das cisternas, estejam sempre limpos e tampados.


Impermeabilização de Reservatórios de Água 

Construsul Impermeabilização de Reservatórios de Água Porto Alegre

O cuidado é essencial para que o líquido seja consumido com segurança pelos moradores de uma residência. São comuns os casos de doenças causadas pela proliferação de bactérias e insetos nesses locais. Quanto tempo o serviço de Impermeabilização de Reservatórios de Água demora?

Em média uma semana, isso porque os impermeabilizantes necessitam ser aplicados no mínimo três vezes para que suas propriedades sejam ativadas. E é preciso um intervalo entre as mãos do produto. A técnica pode ser feita em reservatórios dos mais diferentes materiais, destacando-se a Impermeabilização de Reservatório de Água de alvenaria e Impermeabilização de Reservatórios de Água de concreto, os mais comuns no Brasil junto aos de plástico.

Os impermeabilizantes geralmente são incolores e inodoros, mas os fabricantes recomendam que os tanques e reservatórios sejam postos para funcionar de três a cinco dias após o processo de impermeabilização, para que não ocorra risco de contaminação da água e posteriores problemas de saúde dos consumidores.

A Ribeira ressalta: cuidados que devem ser adotados na Impermeabilização de Reservatórios de Água
Uma série de cuidados devem ser tomados para realização dessa atividade. Caso as caixas d’água apresentem trincas, é indicado que essas fendas sejam consertadas antes da aplicação do impermeabilizante.

Portanto, técnicas e pessoas capacitadas são essenciais para que problemas não ocorram e isso pode ser garantido através da contratação de empresas especializadas neste serviço. Elas, inclusive, podem oferecer garantia em contrato assinado. Outra vantagem desse processo é o fato de tornar as estruturas, sejam de concreto ou alvenaria, mais resistente e sem que perca ao longo do tempo a qualidade e durabilidade das estruturas.

Deve-se sempre recorrer a empresas especializadas em Impermeabilização de Reservatórios de Água. A equipe deverá ter conhecimento do projeto de impermeabilização, possuir mão-de-obra e suporte técnico compatível com o serviço e que ofereça garantia dos serviços prestados.

A Impermeabilização de Reservatórios de Água que a Construsul Impermeabilização de Reservatórios de Água Porto Alegre e Desentupidora executa é realizada por profissionais capacitados que utilizam os melhores impermeabilizantes do mercado garantindo pra você excelentes resultados.

Sabemos que este serviço tem grande impacto na qualidade da água que é fornecida para os clientes, por isso é executado por especialistas que passam por constantes treinamentos baseados nas normas NR 33 e NR 35.


Empresa de Impermeabilização de Reservatórios de Água Porto Alegre

Construsul Impermeabilização de Reservatórios de Água Porto Alegre

Com a atual crise d’água, os síndicos passaram a dar um pouco mais de atenção à necessidade de impermeabilizar caixas d’água e piscinas para impedir vazamentos. Já a manutenção das coberturas, marquises e beirais entra no rol dos serviços indispensáveis à preservação das estruturas das edificações.

De qualquer forma, impermeabilizar todos esses sistemas requer técnica, paciência e mão de obra especializada, notadamente o trabalho nos reservatórios, alerta a engenheira química Maria Amélia Silveira, uma das principais referências brasileiras no assunto.

As caixas d’água precisam ficar esvaziadas pelo tempo necessário à cura dos materiais utilizados na impermeabilização, sob pena de haver “comprometimento da potabilidade da água”, exemplifica. “Se não houver tempo adequado, é melhor não fazer o serviço.”

Ela explica que a massa usada internamente é feita, em geral, de um composto de resinas e cimento, elementos que poderão desprender e se misturar à água caso não estejam curados.

A engenheira foi uma das sócias-fundadoras do Instituto Brasileiro de Impermeabilização (IBI), atua como consultora técnica do órgão e chefiou o Laboratório de Impermeabilização do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas). Também integrou comissões de estudos da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) que normatizaram a impermeabilização no País.


Serviço de Impermeabilização de Reservatórios de Água Porto Alegre

Construsul Impermeabilização de Reservatórios de Água Porto Alegre

1 – RESERVATÓRIOS D’ÁGUA

– Quando impermeabilizar

Não há uma periodicidade certa para a troca da impermeabilização nesses locais. Ela deve ser refeita quando houver vazamentos visíveis nos reservatórios superiores ou infiltrações nos inferiores. Mas durante a troca de tubulações nos reservatórios, recomenda-se fazer nova impermeabilização ou reforçar a existente, pois esta substituição sempre causa dano ao sistema.

– Período de esvaziamento

Ele deve ser de cinco dias pelo menos. O prazo é necessário para o preparo da superfície (verificação e reparo de trincas e bicheiras do concreto, troca de tubulações, remoção de antigas impermeabilizações etc.); aplicação das diversas camadas do material impermeabilizante; além da sua cura completa. Porém, o tempo poderá ser ligeiramente abreviado se a empresa contratada dispuser de equipamentos para a renovação do ar saturado de umidade do interior do reservatório.

– Limpeza da caixa d’água & Impermeabilização

A limpeza não pode danificar a impermeabilização preexistente. Por isso, estão vetados solventes, ácidos ou outros compostos que venham a interagir com os materiais impermeabilizantes, bem como jatos d’água com pressão muito forte ou equipamentos que provocam abrasão.

Muitas vezes a empresa de limpeza também executa a impermeabilização num prazo de um ou no máximo dois dias. O período é insuficiente para a aplicação das camadas e cura dos materiais, dessa forma, a impermeabilização resultará ineficaz e, por vezes, deixará resíduos dos materiais aplicados dispersos na água do reservatório.

– Materiais

Os materiais aplicados na impermeabilização dos reservatórios são as argamassas poliméricas rígidas ou flexíveis. Eles são definidos em função das condições da estrutura e do local onde estão instalados – os reservatórios superiores estão sujeitos à incidência maior de sol, chuvas, ventos etc.

Enquanto os inferiores sofrem menos com a ação do clima. Resinas de poliuretano e de epóxi também são usadas na impermeabilização desses sistemas, mas sua aplicação requer mão de obra mais especializada.

– Testes de estanqueidade

Eles devem ser realizados com enchimento dos reservatórios para comprovação da eficácia dos serviços executados. Mas é preciso aguardar o tempo da cura e fazer antes a higienização do reservatório (através de lavagem com baixa pressão e descarte da água; não há necessidade de completar o espaço para fazer o procedimento).

Somente então se realiza o enchimento completo do reservatório e, caso ele não apresente vazamentos, a água já poderá ser usada para consumo. No entanto, se houver falhas na impermeabilização, será preciso descartar a água (ou armazená-la adequadamente para uso no condomínio) e fazer os reparos no sistema.

– Reforço externo

Geralmente não há necessidade de serviços externos na estrutura do reservatório, a menos que se queira melhorar sua aparência, executando-se reparos em argamassas, pinturas etc.

2 – PISCINAS

Vazamentos na piscina indicam a necessidade de impermeabilização por dentro. O rejunte dos azulejos e pastilhas ou colocação de selantes ao redor das grelhas, ralos e outros dispositivos servem para recompor os revestimentos, mas, na maioria das vezes, não resolve o problema de uma impermeabilização deficiente.

Se a piscina for toda construída em concreto e, por alguma movimentação na fundação ou demais causas, aparecer uma trinca, é possível fazer seu preenchimento com resinas apropriadas pelo lado externo da estrutura (sem esvaziá-la). Entretanto, essa é uma situação bem particular, que precisa ser analisada por especialistas para que tenha sucesso.

3 – COBERTURAS

Além das mantas asfálticas, consagradas para esse tipo de local, a impermeabilização poderá ser feita com resinas de poliuretano. Mas as argamassas impermeabilizantes compostas de cimentos e resinas, mesmo as mais flexíveis, normalmente não têm a necessária elasticidade para acompanhar as movimentações normais a que uma laje de cobertura estará sujeita.

4 – BEIRAIS E MARQUISES

Como essas áreas não estão normalmente sujeitas ao trânsito de pessoas, a não ser eventual, elas podem receber diferentes tipos de materiais impermeabilizantes, como: – mantas asfálticas com acabamento em grânulos; – resinas acrílicas e em poliuretano; – asfaltos em emulsão ou solução com acabamento em pinturas acrílicas. Porém, a instalação de rufos e ‘pingadeiros’ nos beirais, principalmente, ajudará a proteger melhor essas estruturas.